• Elisiane Kiel

Como fazer uma Marca forte?

Atualizado: 26 de Jun de 2020

Eu estava refletindo com o cenário das marcas empresariais e pessoais e a dificuldade de criar uma que esteja alinhada e seja uma marca forte. O que fazer então para clarificar senão através do conhecimento e sua disseminação? Então aqui estamos para ajudar a desenvolver seu conhecimento e startar ideias. E como chegar a uma marca forte?

1. a Marca

As marcas registradas identificam e distinguem os produtos e serviços de uma empresa de outros indicando a origem. Elas fazem parte da estratégia de Branding e Marketing.

Uma marca comercial/pessoal pode incluir qualquer palavra, nome, símbolo, dispositivo ou qualquer combinação destes.

Os direitos de marca começam a se adquirir logo que uma marca é usada, porém o registro é fundamental que a garante definitivamente, por isso de grande importância.

Este instituto de Propriedade Intelectual – PI, a marca, geralmente caminha em paralelo com outros protegendo o produto. Uma boa marca distingue os produtos da companhia criando um caminho fácil para o consumidor identifica-lo.


1.1 Tipos de desenvolvimento de Marca

Para desenvolver uma marca forte há três passos: selecionar uma marca forte, registrar a marca e protegê-la através de uso adequado.

Uma marca forte distingue um produto efetivamente e, diferentemente da estratégia de marketing, não deve se relacionar aos atributos do produto ou descrevê-lo. Temos quatro tipos de marcas: fantasiosa, arbitrária, sugestiva, descritiva.

O mais forte é o fantasioso como Google, Kodak. No Brasil um grande exemplo de marca fantasiosa é Elefante da Cica para massa de tomate, ou seja, não possui relação com o produto nem no nome, muito menos na logo que era um elefante verde.

O outro nível também forte é o arbitrário que são termos compreensíveis utilizados para bens ou serviços não relacionados, por exemplo Apple.

As marcas sugestivas seguem após a arbitrária na força e sugerem qualidade do produto como Slim-fast para suplementos alimentares. E as marcas descritivas com menos força, que descrevem o produto ou suas qualidades, por exemplo sete grãos para pão feito com grãos, considerados marcas fracas. Termos genéricos não são registráveis tal como suplemento, vitamina.


1.2 Marca forte

Escolher uma marca é uma arte e ciência combinada. Geralmente uma marca forte contém três silabas ou menos, são fáceis de pronunciar, soletrar e lembrar. Uma boa agência de publicidade pode ajudar, porém ao mesmo tempo deve ser visto se pode ser registrado e no Brasil é no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI http://www.inpi.gov.br/menu-servicos/marcas ).

A Marca é nacional, deve ser registrada em cada país, podendo ter um alcance internacional se for de grande renome como por exemplo Louis Vuitton.

Uma marca que gere confusão ou ambiguidade nunca será concedida pelo órgão de análise. No Brasil a marca tem duração de 10 anos podendo ser sempre renovável, por mais 10 anos e assim por diante, somente perdendo a eficácia quando deixar de recolher as custas administrativas do INPI.

O momento mais oportuno de ver sua marca é quando estão abrindo o CNPJ na junta comercial, porque geralmente o nome fantasia está atrelado a marca, muitas vezes sendo o mesmo. Assim se evita problemas futuros como a mudança inclusive de CNPJ. Fique atento.

Vimos um pouco sobre a marca e como desenvolver sua força. Agora é com você para definir o valor atrelado e o conceito transmitido. Lembre-se que uma boa marca gera ativos e valores para sua empresa. O que você quer transmitir ao seu público?


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2020 Kiel, Luz & Canziani Advogados. Todos os Direito Reservados.